Cidade Empreendedora e Sustentável

Guarantã do Norte compra produtos da agricultura familiar também para o setor da saúde

O município é um dos poucos no Estado a comprar da agricultura familiar também para o setor de saúde

Em Guarantã do Norte, poder público e sociedade mostram que é possível, mesmo em tempo de pandemia, promover o desenvolvimento local e contribuir para a saúde e o bem estar. Localizado a 709 km de Cuiabá, é um dos poucos no Estado as comprar da agricultura familiar também para o setor de saúde.

O município integra o programa Cidade Empreendedora e Sustentável, em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso (Sebrae/MT), cujo foco é incrementar o desenvolvimento local através da adoção de inúmeras práticas, entre elas as compras governamentais.

Além de representar uma renda a mais para os pequenos produtores rurais, a medida amplia a oferta de alimentos frescos para pacientes e funcionários do Hospital Municipal Nossa Senhora do Rosário de Guarantã do Norte.

Desde o dia 18 de fevereiro, nove agricultores familiares abastecem o hospital com os seguintes gêneros alimentícios: abacaxi, abobrinha, alface, almeirão, banana-maçã, banana-nanica, batata-doce, laranja, limão, quiabo, vagem, mandioca, couve, melancia, mamão, tomate, cheiro verde, açafrão, além de pão caseiro, bolacha caseira.

A nutricionista do hospital Municipal de Guarantã do Norte, Jackqueline Mioto Knopf, reforça que para os pacientes é muito bom porque recebem uma variedade maior de grupos alimentares e têm uma dieta com um valor nutricional melhor. Também os funcionários são beneficiados porque acabam comendo.

Ela destaca a ótima qualidade dos produtos e o fato de estarem sempre frescos. “Não temos queixa das entregas, os produtos chegam certinho. A gente manda uma lista do que vai precisar e todas as semanas eles entregam no hospital”. Aponta ainda a economia de recursos porque os preços da chamada pública são acessíveis. “Vale muito a pena esse investimento. Além de ajudar o produtor e a economia local, a gente também recebe produtos de qualidade”, reforça.

O consultor do Sebrae, Luis Pivovar, que atende o município com consultoria em compras públicas, reforça o quanto a iniciativa é positiva para girar a roda da economia local. “Os produtores da agricultura familiar obtiveram mais um canal de comercialização, pois antes seus produtos eram comercializados na feira do produtor e para a alimentação escolar. Agora já vendem para o hospital e estão iniciando a comercialização para a assistência social”, comemora.

Os produtores também festejam a existência de mais um canal de comercialização. Neusa Hohnsee Brunner, 51 anos, entrega semanalmente ao hospital, abobrinha, quiabo, vagem, pão e bolacha caseiros. Vende também para escolas e creches, além das feiras. Para ela, é uma renda a mais e ajuda muito.

Mesmo vendendo para a merenda escolar do município há 12 anos e sendo fornecedor de mercados locais e de Matupá, Peixoto de Azevedo, Terra Nova do Norte, Vagner Aparecido Spriafico, 36 anos, também valoriza a compra pública para o hospital municipal. Estão entregando alface, almeirão, couve e mamão e nos próximos meses vão acrescentar melancia e tomate.

Ele conta que tem dois sócios e que trabalham em família somando oito pessoas, entre irmãos, mães, mulheres, filhos. Na propriedade contam com 12 barracões para produção hidropônica e mais quatro no sistema tradicional. Produzem, sobretudo, folhosas.

As compras públicas da agricultura familiar para o hospital Município de Guarantã do Norte são um reforço para promover o desenvolvimento local e fazer a inclusão social e econômica do homem.