Engajamento

Movimento Eu Coopero com a Economia Local tem o apoio de seis entidades em Mato Grosso

Outras 20 instituições municipais espalhadas pelo Estado também aderiram à campanha que visa fortalecer os pequenos negócios, preservar empregos e a renda

Movimento Eu Coopero com a Economia Local, lançado pelo Sicredi em junho, tem o apoio de seis entidades estaduais em Mato Grosso e de outras 20 instituições municipais espalhadas pelo interior. Com atuação estadual, a Federação das Indústrias (Fiemt), a Federação da Agricultura e Pecuária (Famato), a Federação das Associações Comerciais e Empresariais (Facmat), a Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio/MT), a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL/MT) e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae MT) aderiram ao movimento que visa fomentar e fortalecer a economia local, com a valorização dos pequenos negócios na região, manter os empregos e a renda, e assim ajudá-los a enfrentar os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Mais que do que nunca ficou evidente o quanto a cooperação faz a diferença e o quanto ela é fundamental para que a situação seja superada o mais rápido possível. O movimento visa agregar a sociedade civil, pessoas físicas e jurídicas, entidades, veículos de comunicação e poder público nessa corrente de cooperação para estimular e desenvolver a economia local. A ideia é incentivar as pessoas a comprarem dos negócios do seu bairro, da sua cidade e da região, fortalecendo a economia local, especialmente os pequenos empreendedores.

Com a adesão ao movimento, as entidades passam a usar em suas peças de comunicação, redes sociais e em outros meios de divulgação o selo da campanha Eu Coopero com a Economia Local, que confirma o engajamento e o apoio da entidade ao movimento. “A adesão dessas entidades, tão importantes nos seus respectivos setores econômicos, vem somar nessa corrente da cooperação. Juntos, vamos superar os obstáculos decorrentes da covid-19. Porque ao comprar produtos ou contratar serviços das cidades onde vivemos estimulamos a criação de empregos e a geração de renda nesses municípios”, afirma o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof. Ele acrescenta que o estímulo ao consumo e ao desenvolvimento local é um dos propósitos do Sicredi desde a sua fundação, em 1902.

Segundo a diretora técnica do Sebrae MT, Eliane Chaves, Mato Grosso está aderindo a esta iniciativa do Sicredi, esse importantíssimo movimento “Eu Coopero com a Economia Local”, de forma solidária e reconhecendo que os pequenos negócios merecem nosso respeito, nosso apoio, nossas considerações neste momento de pandemia, que afeta severamente a operação do dia a dia de um pequeno negócio. Ela destaca ainda que é preciso colocar para cada cidadão, para cada instituição e governantes a necessidade de uma atenção especial aos pequenos negócios. “Nós precisamos olhar e ver que temos como nossos vizinhos pequenas empresas que prestam serviços, que fornecem produtos, que colocam se à disposição das pessoas, de uma maneira às vezes tão diferenciada, nos bairros, nos locais mais próximos das nossas casas, para que elas possam sobreviver”, enfatiza.

Ressalta ainda o quanto é importante que as instituições se apresentem de uma maneira unida, de uma maneira forte de cooperação para que a gente possa dar o apoio necessário.

“Neste momento, o Sebrae Mato Grosso se faz presente nos canais remotos com todo o nosso portfólio de produtos e serviços de orientação, capacitação e consultorias gratuitas para que as pequenas empresas possam ser orientadas, possam se colocar de uma forma técnica. Disponibilizamos também apoio humano para que possamos fazê-las ter coragem de sobreviver, lidar com as situações desta realidade e que possamos fazer com que grande número delas, quando a economia realmente retomar, tenha condições de sobreviver, inovar e aprender a trabalhar em qualquer crise”.

Para Eliane o momento agora é de cooperação e esse movimento do Sicredi é uma iniciativa de responsabilidade institucional e social para que os pequenos negócios consigam sobreviver, tendo o apoio necessário das instituições, em suas competências, e possam também ter coragem de enfrentar essa realidade e conseguir trazer para o seu público, para os seus empregados, a esperança e a capacidade de reagir.

O movimento pretende impactar positivamente diversos públicos, desde pequenos comerciantes e produtores rurais, para que se sintam apoiados pela campanha; associados do Sicredi, para que contribuam com a divulgação das mensagens e aproveitem oportunidades de negócio que possam surgir com ela; e consumidores, para que se conscientizem sobre seu papel na movimentação da economia de suas regiões por meio de seu comportamento de consumo.

Além do selo da campanha, outras ações serão realizadas. Nos próximos dias vai ser lançado um hotsite, que servirá de fonte de informações sobre a iniciativa e como ferramenta de apoio aos empreendedores locais. O espaço disponibilizará conteúdos em vídeo e e-books com dicas de como trabalhar os negócios nos meios digitais e uma plataforma de personalização de peças digitais de divulgação, além de acesso a outras ferramentas que podem auxiliar na gestão do empreendimento.

A prioridade de relacionamento com fornecedores locais é uma política do Sicredi por meio da atuação das suas 110 cooperativas de crédito. Só em 2019, foram mais de R$ 550 milhões injetados na economia, por meio de pagamentos a fornecedores locais pela instituição. Nas regiões Centro-Oeste e Norte, o Sicredi atua nos estados de Mato Grosso, Pará, Rondônia e Acre, onde são mais de 500 mil associados pessoas físicas, empresas e produtores rurais, distribuídos em 143 municípios.