Negócio a Negócio

Programa vai atender 5.040 empresas em MT

Agentes de orientação empresarial vão fazer as visitas e levar informações para melhorar a gestão

Tal como médicos de família, que fazem atendimento básico na casa dos pacientes, os agentes de orientação empresarial visitam os empresários - microempreendedor individual (MEI) e microempresa (ME) - levando orientação para melhorar a gestão dos empreendimentos, numa tentativa de ajudar os negócios a progredirem, além de evitar que “morram” precocemente.

Esses profissionais, com formação em administração, contabilidade, economia e técnicos em gestão empresarial, começam no dia 03 de junho, a visitar empresas em Cuiabá e no interior. A meta do Programa Negócio a Negócio em Mato Grosso é visitar 5.040 empresas, sendo 2.200 em Cuiabá. Os agentes prestam orientação e a empresa atendida recebe um diagnóstico básico da situação com indicações do que fazer. “Esse é um programa de relacionamento, uma forma do Sebrae mostrar como pode auxiliar as microempresas e o microempreendedores individuais”, destaca Liliane Ramos, analista da gerência de empreendedorismo do Sebrae MT, coordenadora local do programa. Ela acrescenta que o atendimento é gratuito e que o programa é voltado a empresários que não têm acesso ao Sebrae, nem nas agências, nem via internet.

Durante esta semana, de 27 a 29/05, 19 agentes selecionados pelo primeiro edital participaram de uma capacitação para conhecer a estrutura, os produtos e serviços do Sebrae, aprender a metodologia a ser aplicada e o funcionamento da ferramenta que será usada.

Alexandre Antônio de Oliveira, tecnólogo em administração com pós-graduação em Gestão de Pessoas, atua no programa Negócio a Negócio desde a primeira edição. Experiente, ele agora vai atuar como tutor (supervisor) em Rondonópolis, nesta edição. Mesmo assim, participou da capacitação. “O curso foi muito bom, tem coisas novas que nos ajudam a entender o papel do agente para orientar o empresário”. Ele lembra que, neste momento em que a economia está desaquecida, aumenta o número de empresas de empreendedores individuais (MEI). “A pessoa perde o emprego, recebe o fundo de garantia e monta uma empresa. No entanto, normalmente, o empreendedor não tem conhecimento de gestão”.

Com apenas 19 anos, a tecnóloga em administração, Selma Rezende, viu no Negócio e Negócio uma oportunidade de trabalho. “Achei interessante aprender e me aprimorar. A capacitação foi bem direta e com explicações claras sobre o trabalho que vemos desempenhar em campo”, disse.

Elisabete Queiroz, da empresa Travessa Consultoria, que selecionou 13 agentes destaca que a capacitação e o monitoramento têm como objetivo zelar pela qualidade da entrega do trabalho. A capacitação ajuda muito, não só pelos conceitos, mas traz a experiência de oito anos do projeto. Se dizendo uma sonhadora, ela diz que o trabalho do agente de orientação ajuda o empreendedor a permanecer no mercado de forma competitiva, contribuindo para reduzir a desigualdade e o desemprego.

O Negócio a Negócio é um programa criado pelo Sebrae Nacional há oito anos e implementado em todos os estados do Brasil.