Alimentação fora do lar

Sebrae MT e Abrasel MT orientam empresários para se prepararem para reabertura

Nesta terça-feira, 2, webinar “Prontos para Servir”, com a participação da presidente da Abrasel/MT, Lorena Bezerra, e dos consultores do Sebrae/MT, Sérgio Molinari e Marcelo Martins

Há menos de uma semana para a reabertura dos restaurantes, bares e lanchonetes de Cuiabá, após permanecerem fechados por mais de 60 dias, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Mato Grosso (Sebrae/MT) e Associação Brasileira dos Bares e Restaurantes (Abrasel/MT) promovem nesta terça-feira, 2, às 15 horas (hora local), o webinar “Prontos para Servir”, com a participação da presidente da Abrasel/MT, Lorena Bezerra, e dos consultores do Sebrae/MT, Sérgio Molinari e Marcelo Martins.

As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo link https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/Webinars/inscricao?webinar=retomada-das-atividade-de-bares-e-restaurantes-em-cuiaba,1d10e6b235262710VgnVCM1000004c00210aRCRD

Os especialistas vão tratar do retorno das atividades presenciais do setor em Cuiabá, autorizada pelo decreto 7.929 assinado pelo prefeito Emanuel Pinheiro, no dia 28 de maio. A autorização inclui uma série de regras de biossegurança, entre elas a limitação do número de pessoas a 50% da capacidade de cada casa, distanciamento de 2 metros entre as mesas, oferta de álcool gel 70% disponível para os clientes, uso obrigatório de máscara para funcionários e clientes, que só poderão retirar na hora do consumo de alimentos e bebidas. As regras de limpeza e desinfecção de mesas, cadeiras, máquinas eletrônicas e cardápios é rígida.

A consultora do Sebrae MT, Marisbeth Gonçalves, reforça que, primeiro, os empresários do setor de alimentação fora do lar devem ter um bom entendimento do que está sendo exigido pelo decreto municipal que autoriza a reabertura e seguir tudo que estabelece, as regulamentações técnicas.

Todas as pesquisas veem demostrando que não seremos os mesmos após a pandemia, muitas coisas mudaram. O primeiro cuidado que os consumidores terão ao escolher um empreendimento para comer é com a questão da limpeza, higiene e da segurança alimentar. “Isso está na cabeça dos consumidores e os empresários precisam fazer não só o que o regulamento pede, mas precisam ir um pouco além. Também precisam comunicar aos seus clientes o que estão fazendo, por meio de cartazes dentro do empreendimento (o que é uma exigência do decreto), pelas redes sociais, de todas as formas, os cuidados que a empresa está adotando para garantir uma segurança alimentar. Isso é o ponto fundamental”.

Destaca ainda a importância de se fazer um planejamento da operação para que ela seja o mais eficiente possível. “Muitos dispensaram funcionários e precisam avaliar qual a capacidade de operação, quantas pessoas precisarão chamar. É importante que façam um planejamento para irem chamando o pessoal aos poucos porque a expectativa é que não volte tudo de uma vez”, reforça.

Outro ponto que ressalta é com relação às compras. Segundo ela, mais do que nunca é necessário ficar atento à qualidade da matéria-prima, ao preço, pesquisar muito bem antes de comprar, porque cada centavo a mais conta no custo operacional. Lembra ainda que todo e qualquer desperdício deve ser evitado.

Por fim reforça que muita gente está querendo continuar com o hábito de cozinhar em casa e os empresários de restaurantes têm que estar atentos para oferecer alguma inovação, alguma experiência que desperte no cliente o hábito de querer comer fora novamente.