PISCICULTURA

Semana do Peixe - Sebrae MT apoia iniciativa

Ação visa incrementar o consumo de pescado, produto rico em nutrientes e sinônimo de alimentação saudável

Até o próximo dia 15, é realizada em todo o país a “Semana do Peixe”, iniciativa de estímulo ao consumo de pescados em Mato Grosso conta com apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Desde 2005, a instituição desenvolve projeto com a cadeia da piscicultura, atendendo produtores e demais elos da cadeia com ações, inicialmente, focadas na melhoria da produção incluindo boas práticas a campo, novas tecnologias, gestão dos empreendimentos, e, na sequência, visando a melhoria do produto em termos de qualidade sensorial e visual para a promoção e aumento do consumo de peixes.

A gestora do projeto, Valéria Pires, destaca a importância da Semana do Peixe e diz que a comercialização tem relação com a valorização do comércio e do produto local, geração de renda e empregos para o nosso estado, pois cerca de 30% do que consumimos são peixes que produzimos, o restante vem de outros países. “Além de saborear peixes produzidos de forma sustentável com controle de qualidade, também podemos optar por produtos oriundos de empresas que prezam pela segurança alimentar do consumidor”, enfatiza.

O Mato Grosso possui uma ampla lâmina d’água e condições propícias à criação comercial de pescados. A produção de peixes cultivados é de 49.400 toneladas (t), sendo que 46.280 são de peixes nativos.

Dentro do espírito da Semana do Peixe, o empresário Yasser Caldeira, da Dona Fresca Peixaria, organizou uma promoção com grande diversidade de peixes locais e de água salgada, bem como de frutos do mar. Segundo ele, alguns produtos mais procurados como a tambatinga, filé e posta de tilápia, salmão inteiro, camarão inteiro e eviscerado, entre outros, estão com preços mais baixos. Além disso, durante o período serão feitas lives com chefs de cozinha preparando receitas com pescados.

Apesar de o Brasil ter uma grande diversidade de pescados e uma produção de 758.006 toneladas, nosso consumo per capta de 9,5 kg/hab/ano está aquém do preconizado pela FAO (Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) que recomenda pelo menos 12 kg/hab/ano.

 

É gostoso e faz bem

Se o consumo de pescados sempre foi tido como saudável, agora ele é ainda mais indicado, uma vez que colabora para a melhoria da nossa condição física de uma maneira geral e em aspectos específicos diretamente relacionados com a covid-19.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, recomenda o consumo de peixe e nutricionistas endossam orientando consumir pelo menos três vezes por semana, para cuidar da nossa saúde.

Graças à sua enorme concentração de nutrientes, vitaminas e proteínas, o peixe é considerado um dos alimentos mais saudáveis que se pode encontrar na natureza. Ele é também uma das melhores fontes de ácidos graxos ômega-3, importantes para o funcionamento do corpo e do cérebro, além de proteínas complexas, iodo, e várias vitaminas e minerais.

Falando mais especificamente dos benefícios à saúde, o consumo regular de peixes reduz o risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC), de doenças autoimunes, incluindo a diabetes do tipo I, bem como de ajuda a prevenir e combater a depressão, um mal que se acentuou durante a pandemia e a melhorar a qualidade do sono, problema causado, em muitos casos, por uma deficiência de vitamina D.